BELO HORIZONTE (31/01/2019) - A Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais está orientando os produtores rurais a não utilizar a água do Rio Paraopeba para irrigação, dessedentação de animais e atividades domésticas. Técnicos da Emater-MG, IMA e Epamig estão acompanhando o monitoramento da água feito por órgãos oficiais e levando as recomendações até os produtores. 

Após o rompimento da barragem da Vale, em Brumadinho,  os mananciais diretamente atingidos pelo rejeito poderão conter substâncias prejudiciais à saúde humana e dos animais. Além disso, a turbidez do rio indica maior quantidade de sedimentos em suspensão, que poderão prejudicar equipamentos de captação de água e de irrigação. 

O trabalho de orientação dos produtores rurais está sendo feito em 20 municípios da bacia do rio Paraopeba. Deve ser respeitada uma área de 100 metros das margens. 

Para manter o abastecimento das comunidades atingidas, o Governo de Minas Gerais determinou à Vale que forneça água potável para as comunidades afetadas. Paralelamente, foi suspensa a necessidade de emissão de outorga para a perfuração de poços artesianos.

As orientações para o não uso da água bruta do rio Paraopeba valem até que a situação seja normalizada. 


Ascom Emater-MG
Tel: 31 3349-8096/8158/8132
www.emater.mg.gov.br
Fotos: Arquivo Emater-MG

Publicado em: 31/01/2019



Matérias Relacionadas